Esse blog foi criado para divulgar o trabalho do Canto Cidadão, Organização Não Governamental (ONG), da qual a Drª Risadinha Risolina é voluntária. Nesta página você lerá textos que expressam as experiências que tenho vivido.



terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Namoro ou amizade?

* O relato a seguir é baseado em fatos reais, porém, os nomes das personagens são fictícios com o objetivo de preservar sua identidade.

Carlos completou 84 anos essa semana. Já pensou a bagunça que aprontamos? Ele disse que é muito feliz, tem 4 filhos, 6 netos e dois bisnetos. Ah, e Carlos não pára de sorrir, tanto que contagiou os companheiros de quarto, que à princípio estavam sisudos e desconfiados com nossa presença. Em dois palitos ambos entraram na brincadeira. Cantamos: Com quem será? Com quem será? Que o Carlos vai se casar? (...) O Márcio, companheiro de quarto é avesso a casório - Que Deus tenha piedade de mim. Quero distância de casamento. Vixiiii!!
Perto dali, Manoel gostou da cantoria e pedia bis (rs). Ele pedia tantas músicas românticas que perguntamos se ele estava apaixonado e ele falou que não se apaixona. Depois de cutucar o rapaz sabe o que ele confessou? Que é casado há 24 anos. Imediatamente indagamos. Mas você não é apaixonado por sua mulher? É claro, mas só pela minha nega. Ufaaaaaaa! Que susto.
Continuamos a cantar com outros amigos e a parada de sucesso foi a música da dupla sertaneja César Menotti & Fabiano “... tira essa paixão da cabeça, tira essa tristeza do olhar. Já não vale a pena essa busca, já não vale a pena chorar. Tempo perdido, amor bandido que ele te fez, final da história, você sem rumo mais uma vez.”
No último quarto conhecemos a história de Flávio e Carla. Ele está internado desde o meio do ano, no momento está inconsciente, mas ela não deixa de ficar ao lado dele nem por um só dia. Curiosos como sempre, perguntamos a Carla como eles se conheceram. Ela nos contou que eram amigos e ele namorava com uma prima dela. Depois de um tempo o namorou miouuuu... a amizade entre eles era forte e já tinha cinco anos. De repente, Flávio fez uma proposta: já que estamos sozinhos podíamos tentar. O que acha? – Aceitei, disse Carla. Passou um ano e nos casamos. Nunca me arrependi e acredito que ele também não. Acho que a amizade fortaleceu nossa união. Nunca brigamos, apenas tivemos discussões como todo casal.
Vocês precisam conhecer os frutos desse amor: duas lindas moças. Nos despedimos de Carla desejando que Flávio volte logo para sua linda família.

3 comentários:

dr.polenticão disse...

ESSA DOUTORA É O MAXIMO PRÁ ESCREVER.
TÁ NA CARREIRA CERTA?
ACHO QUE SERIA UMA ÓTIMA JORNALISTA.(rsrsrsrs)

VALEU GAROTINHA, O GRUPO DE ORGULHA DE VOCE E DO Dr.CABOCLINHO, CONTINUEM ASSIM, TÁ?

UM FORTE E CARINHOSO ABRAÇÃO
DO DR.POLENTICÃO!!!

Ana Maria Barbour disse...

Ei Risadinha! Bom ler suas histórias novamente. Dá um estímulo enorme para comerçarmos a semana com esperança e bom humor. Saudades. Um Beijo grande, Ana.

zymboo disse...

Olá, bom dia!
Meu nome é Patrícia e represento a empresa Zymboo.com.
Gostamos muito do seu blog e gostaríamos de convidá-lo a publicar seus textos em nosso Espaço Literário.
Com isso, você poderá aumentar as visualizações de seu blog e ter seus textos publicados em um grande portal da Internet (www.zymboo.com).
Basta que nos envie seus textos e os publicaremos na Zymboo juntamente com seu nome e a URL do seu blog.
Escreva-nos: espacoliterario@zymboo-inc.com